Lema para o ano de 2014: "O meu Deus, segundo as suas riquezas, suprirá todas as vossas necessidades em glória, por Cristo Jesus." Filipenses 4:19.

terça-feira, 10 de julho de 2012

A Escolha de Jillian

Como posso desistir de você, Efraim? Como posso entregá-lo nas mãos de outros, Israel? Oseias 11:8

Assim que uma imensa parede de água acabou por completo com a tranquilidade das férias de Jillian Searl, ela foi forçada a fazer a escolha mais horrível que qualquer mãe já teve que enfrentar: qual de seus dois filhos salvar.

Jillian estava perto da piscina do hotel com seus dois filhos, Lachie, 5 anos, e Blake, 2 anos, no resort tailandês de Phuket na ocasião em que o tsunami de 26 de dezembro de 2004 atacou inesperadamente. “Ouvi um bramido terrível, um bramido muito alto, virei e tudo o que vi foi muita, muita água vindo em nossa direção”, Jillian contou mais tarde a um repórter em Perth, Austrália. “Imediatamente pensei: Como vou manter meus dois filhos vivos?”

Ao perceber que não conseguiria manter os filhos e a si mesma flutuando sobre as águas, viu-se forçada a escolher qual dos dois filhos segurar e qual soltar. “Sabia que tinha que soltar um deles. Pensei que o melhor a fazer seria soltar o mais velho”, afirmou.

Em meio às águas agitadas, Jillian notou uma jovem mulher agarrada a um poste. Implorou à mulher para que cuidasse de seu filho de 5 anos. Ao ameaçar soltar a mão dele, o menino implorou: “Não me solte, mamãe.” A força da correnteza os separou. Ela olhou para Lachie, que ainda não tinha aprendido a nadar, e pensou que talvez aquela fosse a última vez que o veria com vida.

Enquanto isso, o marido de Jillian, Brad, observava o terrível cenário da sacada do hotel. Tentou correr para ajudar, mas o grande volume de água havia bloqueado as portas.

Assim que a água baixou, ele encontrou Jillian e Blake. Juntos, deram início a uma busca desesperada por Lachie. “Você tem que encontrá-lo, porque eu o soltei”, Jillian disse ao marido. “Eu o entreguei a alguém, e o soltei... Não há possibilidade de viver minha vida sabendo que soltei a sua mão da minha.”

A história teve um final feliz. Duas horas depois, a família Searl encontrou Lachie num posto policial. Ele sobreviveu agarrando-se à porta do hotel.

Há Alguém que vela por Seus filhos com amor inexprimível. Seu coração se parte diante do pensamento de separação – separação que nós escolhemos, não Ele. Não partamos o Seu coração hoje.

Um comentário:

Wallace OLIVEIRA CRUZ RODRIGUES MOURA disse...

A PAZ DO SENHOR JESUS

Boa é esta palavra

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...